Amar, simplesmente amar!


Luiz Santinácio*

Amarás a teu próximo como a ti mesmo

Fotografia com direitos autorais. Propriedade:Blog Caminhos de Santidade.

Quando Jesus diz amar o próximo, não faz distinção. O próximo é todo ser humano: o santo, o delinquente, o prostituído, o ladrão, o estrangeiro, o clerical, o anticlerical, o negro, o branco, o amarelo, o vermelho, o egoísta, o prepotente, o traidor, o traído, o simpático, o empático, o apático, o antipático. Você consegue fazer isto? Condição necessária (conditio sine qua non) para entrar no Reino (cf. Mt 25, 31-46). Estás disposto a isso? Pede a Deus um coração novo colocando no seu íntimo um espírito novo, o Espírito Santo (cf. Ez 36, 27-27).

Foto do acervo particular do escritor Luiz Santinácio
Dificilmente alguém dá a vida por um amigo (cf. Rm 5, 7). E, por um inimigo? Um traidor? Só Deus é capaz de tanto (cf. Rm 5, 8.6) em matéria de amor. Amar como Jesus amou é heroico... ainda mais, divino. Por isso é necessária a potência que vem do Alto (cf. At 1, 8) que conduzirá a cada um de nós à maturidade do amor (cf. Jo 16, 13; 21, 15-19). Seguir Jesus, em nossa contemporaneidade, como também nos tempos de outrora, não é fácil. Torna-se um seguimento árduo que leva a muitos, por puerilidade ou não-amadurecimento, ao não-reconhecimento do ordenamento psicológico natural das coisas, crendo que tudo acontece como se desprovido das responsabilidades de nossas ações postergando-se o livre-arbítrio condicionando o ser a condição de autômato ou simples marionetes nas mãos do Todo. Ou, ainda, meros personagens a cumprir sua fala na grande peça de teatro encenada no palco da vida, no anfiteatro do mundo.

Seguir as palavras de Jesus numa adesão responsável, consciente, proativa, resiliente, mantendo-se viva a chama da esperança é imitá-lo. Ao fazer tal mimésis exercita-se o amor teologal chamado CARIDADE e tal amor acontece quando Deus se derrama no coração de cada homem, de cada mulher, de toda Humanidade como num novo e sempre Pentecostes (cf. Rm 5, 5), ad intra et ad extra Ecclesiae.


Faz tantos anos...

Foto do acervo do Blog Caminhos de Santidade. Reprodução Proibida.




 Faz tantos que amo... faz tantos anos que amamos... e não somos amados... Não nos deixamos amar, primeiro por nós mesmos, depois por Deus em nós , por conseguinte, por nosso próximo, centelha do amor divino a nós...
O Senhor não exige de todos gestos heroicos, mas a todos pede que lhe ofereçamos o nosso coração para fazer dele uma fornalha ardente de caridade, um meio de amar a Humanidade com amor universal, teologal, amor-caridade no cosmos todo dentro de nós e nós todos em Deus.

_____________________________
*Luiz Santinácio, é blogueiro, escritor, poeta nas horas mais vagas. Autor do livro Caminhos de Santidade - Um itinerário espiritual com Paulo de Tarso, Bento de Núrcia e Bernardo de Claraval - Ascese e Mística.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eucaristia: fonte e vida da Igreja

A iniciação cristã, começada com o Batismo e com a Crisma completa-se com a Eucaristia que, como alimento divino, nutre e aumenta no Home...