A nova Páscoa: Eucaristia, fonte e vida da Igreja e de todos os corações.



Luiz Santinácio*


O Mestre de Nazareth celebrou a páscoa judaica desde os doze anos (cf. Lc 2, 41-51; Jo 2, 13-25; 6; 7; 13). A última páscoa judaica que celebrou na terra Jesus quis que fosse particularmente solene (cf. Jo 13, 1), quer dizer, até ao extremo do amor (cf. Lc 22, 19).
No momento das bênçãos rituais destinadas ao pão e ao vinho Jesus enxerta e institui a Eucaristia, sacramento do amor, sacramento do seu Corpo e do seu Sangue. Dando a comer o seu corpo e a beber o seu sangue derramado o Senhor Jesus descreve a sua morte como sacrifício da Páscoa nova da qual ele é o novo Cordeiro (cf. Mc 14, 22-24).

Caminhos da Palestina

Reprodução proibida.
Do acervo particular do proprietário do Blog Caminhos de Santidade. Reprodução Proibida.

Os caminhos de Jesus são desconcertantes (cf. Is 55, 8). Deus pede sempre mais e melhor. O homem tem que aprender a andar com Deus (cf. Mq 6, 8). Por isso, para indicar uma conduta moral segura instituí-se o dom da Lei e intervém para castigar as desobediências do seu povo.

Eucaristia: fonte e vida da Igreja

A iniciação cristã, começada com o Batismo e com a Crisma completa-se com a Eucaristia que, como alimento divino, nutre e aumenta no Home...